Notícias

Programa Integrador: uma forma diferente de aprender

“Dona Marília, 50 anos, viúva, dois filhos, um falecido e o outro mora longe. Com tantas perdas, é difícil manter a saúde mental e física, é necessário o apoio emocional e médico para melhorar a sua qualidade de vida”.




Esta poderia ser uma história de centenas de brasileiros. Marílias, Antônios, Pedros e Sebastianas fazem parte de um cenário bem comum na sociedade, pessoas que necessitam do cuidado básico com a sua saúde física e psíquica. Por isso, a Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora – SUPREMA (FCMS/JF) estimula seus estudantes por meio do Programa Integrador (PI) a construir habilidades e competências para atuar em todos os níveis de atenção à saúde.


Antes da pandemia, as atividades do PI eram realizadas nas Unidades Básicas de Saúde cadastradas junto à Suprema, via convênio com a Prefeitura de Juiz de Fora. Os estudantes faziam visitas domiciliares às famílias assistidas e acompanhavam o trabalho das equipes das UBS’s possibilitando a articulação entre ensino e serviço de forma interprofissional. No entanto, durante o ano de 2020 foram necessárias algumas adaptações para manter esta formação humanizada, já que o contato físico e aglomerações foram limitados devido a pandemia do Novo Coronavírus.


Foi construído no campus da FCMS/JF o Laboratório de Habilidades em Atenção Primária que simula uma casa. Para tornar a experiência ainda mais realista, durante o período de aplicação das atividades são contratados atores que trazem a veracidade da situação proposta pela instituição. Cada caso é desdobrado em várias semanas para que haja o acompanhamento do atendimento domiciliar. Por exemplo, na primeira semana houve a visita à Dona Marília, os estudantes observaram a sua necessidade de saúde e comportamental, e já na segunda visita eles levaram soluções para a paciente.


Para realizar as atividades, são envolvidos 40 docentes, equipe de estrutura e de limpeza, um total de 80 profissionais para atender cerca de 700 estudantes ao longo da semana. A Coordenadora do Programa Integrador, Claudia Moura, fala sobre a importância do olhar humanizado na formação do estudante ainda que de forma adaptada. “Todos os casos que montamos são baseados na experiência e realidade que vivenciamos durante os anos atuando nas UBS’s. Os atores fazem toda diferença neste processo, trazem veracidade e realidade às cenas, muitos estudantes se emocionam durante a aula. É surpreendente!”, conclui.


O estudante do 2° período de medicina, Marco Aurélio, relata que ficou impressionado com a experiência, “por um momento eu esqueci que era uma simulação e fui absorvido pela cena.” Ele continua dizendo “o mais legal é saber que a Suprema se preocupa com esse olhar humanizado desde os primeiros períodos da faculdade. Ensina que o paciente não é apenas a doença que ele tem, mas uma pessoa influenciada por todos os meios que a envolve”, conclui.


O Programa Integrador faz parte da grade curricular dos estudantes de Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia e Odontologia do 2° ao 4° período. Os estudantes de Medicina participam do PI do 2º ao 6° período. Trata-se de uma ferramenta de ensino-aprendizagem inovadora, que busca através da experiência despertar a ética, a humanização e a consciência reflexiva do futuro profissional de saúde.




100 visualizações

1/2
b2.jpg
b3.jpg
b4.jpg